Noticias

As diferenças entre as Igrejas Católica e Protestante

A Reforma Protestante foi um movimento religioso que aconteceu na Europa, século XVI, fomentado por razões políticas e religiosas. O movimento teve como principal líder Martinho Lutero, um monge alemão, que por meio de 95 teses fez várias críticas à Igreja Católica e ao Papa.
O termo “protestante” vem do documento formal de protesto – Protestatio – que os luteranos apresentaram em uma assembleia em 1529, manifestando a sua oposição à política religiosa adotada pela Igreja emuito do que Lutero quis reformar na Igreja há 500 anos divide as duas confissões até hoje. Estas são as oito principais diferenças:

1. Interpretação da Bíblia

O catolicismo e o protestantismo têm diferentes pontos de vista sobre o significado e a autoridade de fé da Bíblia. Desde Lutero, está claro para os protestantes: a Bíblia é “sola scriptura”, ou seja, ela é a única palavra inspirada por Deus, com revelações que nos permitem a comunhão com Ele.

Já os católicos questionam a validade dessa doutrina de quase 500 anos. Eles não acham que a Bíblia, por si só, seja suficiente. Por isso, além da Sagrada Escritura, também a tradição católica romana é vinculativa para os cristãos.

2. A Igreja

Católicos e protestantes têm uma visão diferente da natureza da Igreja. A Igreja católica (do grego katholikós, universal) se vê como a única Igreja verdadeira, em todo o mundo, sob a liderança do papa.

Para as Igrejas que emergiram da Reforma (evangélica, derivada do Evangelho), não há uma única no que tange a denominações, mas há várias denominações cristãs que compõe a única Igreja Cristã (católicos, luteranos, calvinistas, batistas, etc.), espalhadas pelo mundo. Oficialmente, todas elas se consideram equivalentes.

3. Papado

Os protestantes não são tolerantes em relação ao papado, pois alegam que ele não condiz com a Bíblia. Os católicos veem no Sumo Pontífice o sucessor do apóstolo Pedro e, portanto, o chefe de sua Igreja, nomeado por Jesus Cristo. Isso é explicado por uma cadeia de consagrações que nunca foi interrompida, desde o século 1º até o presente.

4. O cargo de sacerdote

Segundo o catolicismo, ao receberem o sacramento da Ordem, bispos, sacerdotes e diáconos ganham para sempre a legitimação de servir a Deus. Por isso, o cargo de sacerdote é superior ao de leigos católicos. Essa ordenação, aliás, é reservada aos homens.

Já o Protestantismo não vê na profissão religiosa uma consagração da pessoa. O cargo é uma função pretendida por Deus que, em princípio, pode ser transferido para qualquer cristão, mesmo para mulheres, ainda que algumas igrejas luteranas também não as ordenem.

5. Eucaristia ou Santa Ceia

Na Eucaristia católica, fica evidente a autoridade do sacerdote e o quanto isso influencia a convivência ecumênica. A Eucaristia, ou Santa Ceia, em um culto religioso representa a morte e a ressurreição de Jesus Cristo. Ela remonta à última refeição de Jesus com seus discípulos na véspera de sua crucificação.

A Eucaristia católica pode ser ministrada pelo sacerdote ordenado que a consagrou e por Ministros da Eucaristia. Apenas o Sacordote ordenado, pode consagrar a hortia “pão e vinho no corpo e no sangue de Cristo”. Não é permitida receber a Eucaristia de não católicos.

Na igreja evangélica, qualquer pessoa batizada pode tomar a Santa Ceia. Também é permitido que leigos auxiliem o pastor na distribuição do pão e do vinho. Esta é uma das razões pela qual o lado católico rejeita a Santa Ceia conjunta com protestantes.

Os católicos veem a Eucaristia como uma constante repetição do sacrifício de Jesus Cristo. Em sua interpretação, a hóstia se transforma no corpo de Jesus e pode ser adorada. Já para os luteranos, a Santa Ceia é o verdadeiro corpo e sangue de Jesus, no pão e no vinho. Algumas igrejas luteranas exigem que, além de batizados, os membros tenham tido instrução prévia nas doutrinas da igreja para serem admitidos à Comunhão do Altar.

6. Sacramentos

Na Igreja Católica Apostólica Romana, há sete atos sagrados, os chamados sacramentos: o Batismo, a Eucaristia, a Crisma, a Confissão, o Matrimonio, a ordem e a Unção dos enformos. O catolicismo crê que Deus salva através destes sacramentos.

Na Igreja Protestante existem apenas dois sacramentos: o Batismo e a Eucaristia (Santa Ceia).

7. Maria e os santos

A Igreja Católica reverencia Maria, a mãe de Jesus, como “Rainha Celestial. Como não há evidências bíblicas para dogmas marianos da Igreja Católica como a salvação de Maria do pecado original e sua glorificação corporal, eles são rejeitados pelo lado protestante.

A Igreja católica pratica a veneração dos santos. Os modelos de fé canonizados ao longo da história da Igreja são vistos como mediadores para interceder junto a Deus a favor do crente. Há mais de 4 mil santos, os quais os fiéis podem venerar através de relíquias.

O culto aos santos é categoricamente rejeitado pela Igreja protestante, por não condizer com os escritos bíblicos. Segundo a fé luterana, todo ser humano pode e deve recorrer a Deus diretamente, em oração, apenas em nome de Jesus.

8. Celibato

O compromisso de não se casar e manter abstinência sexual é obrigatório para sacerdotes católicos. O celibato sacerdotal é compreendido como sinal da sucessão de Cristo, que segundo a Bíblia era virgem e solteiro.

As igrejas evangélicas rejeitam que o celibato seja um dever, pois não há mandamento de Jesus nem dos apóstolos nesse sentido. Já em 1520, o ex-monge Martinho Lutero exigiu sua abolição e, cinco anos mais tarde, casou-se com a ex-freira Katharina von Bora. Por seu casamento, fundaram o “presbitério protestante”, que se tornou uma característica da paróquia luterana ao longo dos séculos.

UOL

Postagens relacionadas

Ano Vocacional: uma inspiração para catequistas

Eraldo

Evangelii Gaudium: Luzes para a Catequese

Eraldo

Nada pode impedir que alguém se encontre com Deus

Eraldo

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Politica de privacidade & Cookies