BiblíaTradição escrita

Como começou o processo de escrita da Bíblia?

Antigo e Novo Testamento. Revelação, a princípio repassada de forma oral, depois, registrada com os recursos próprios da época. Na abertura do mês dedicado à Bíblia, você conhece como se deu o processo de evolução dos registros das Sagradas Escrituras.

 Milênios de história reunidos em um único livro. Exortações, parábolas, ensinamentos de sabedoria, rastros de culturas milenares. O livro das lutas, desobediências e conquistas do povo escolhido. O livro da revelação.

A cristã sustenta que Deus, autor e inspirador dos textos sagrados, sabiamente dispôs que o Novo Testamento estivesse escondido no Antigo. E o Antigo se tornasse plenamente claro no novo.

Para o biblista, Dom Enzo Cortese, “esta ideia do Novo Testamento é colocada em destaque, sobretudo, nos antigos profetas. Isaías já apresentava o futuro descendente de Davi. Assim se chega ao Novo Testamento”.

A história do povo de Deus começa com Abrãao, entre os séculos 19 e 17 a.C. O que se passou com Abrãao e os patriarcas, a princípio, começou a tomar corpo através da tradição oral – os filhos que ouviam dos pais as histórias de seus antepassados.

Os textos da Bíblia começaram a ser escritos desde os tempos anteriores a Moisés (1200 a.C). Escrever era uma arte rara e cara, privilegio de poucos.

No Monte Sinai (península montanhosa e desértica no Egito), Deus revela a Moisés os Dez Mandamentos, ele foi o primeiro codificador das leis e tradições orais e escritas de Israel. Os princípios vindos de Moisés se tornaram as bases do culto e da moral do povo.

“O Sinai se encontra no deserto e Deus fala no deserto. Um lugar que não pertence a ninguém, um lugar misterioso. O que significa Deus falar com seu povo? Falar com alguém é fazer com que ele exista, é isso que Deus procura”, afirma frei Frederico Manns, do Estúdio Bíblico Franciscano (Studium Biblicum Franciscanum), em Jerusalém.

Os autores, inspirados por Deus, redigiam os textos segundo sua mentalidade e em sua própria língua. Essas traduções foram registradas, primeiramente, em pedra. Em seguida, por longos séculos, os manuscritos foram transmitidos em papiro e depois em pergaminhos, que são feitos com peles de animais.

De acordo com o prof. Alberto Mello, do Estúdio Bíblico Franciscano, “o profeta é alguém que é capaz de sintonizar, com o atual sentimento de Deus, que pode ser de ira e de misericórdia. Duas coisas não muito distantes, porque a ira de Deus é uma tentativa de mostrar sua misericórdia”.

Depois de ter falado aos profetas, Deus então se manifesta ao homem de forma ainda mais íntima e direta, através do seu próprio Filho.

Jesus deixa ao seu povo narrações muito simples e seus discípulos transmitiram o testemunho de Sua vida no Evangelho. Desde o segundo século, a tradição da Igreja atribuiu como verídico os textos de Mateus, Marcos, Lucas e João.

Os monges preservaram estes escritos até o advento da era moderna, quando iniciou o processo de impressão.

 

Johannes Gutenberg, inventor alemão,
foi o primeiro a produzir uma versão impressa da Bíblia no século XV.

Postagens relacionadas

A DATA do NASCIMENTO de JESUS

Eraldo

Tradição oral

Lua

O conceito de fé na Bíblia

Lua

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Politica de privacidade & Cookies