Novo Testamento

O 2º Grande Mandamento

Um doutor da lei interrogou a Jesus, para experimentá-lo, dizendo: Mestre, qual é o grande mandamento da lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento.

E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo (Mateus 22.35 a 39).  O Senhor nos faz conhecer que o grande mandamento da lei se resume em uma única palavra:

AMOR. Teoricamente é algo simples de entender e fácil de se aplicar, então vamos meditar na profundidade do mais sublime dos sentimentos, o qual, lamentavelmente, é um afeto em extinção, mas brotando no coração do homem, é a solução para todas as situações, mesmo as que parecem impossíveis aos olhos humanos.

O PRIMEIRO GRANDE MANDAMENTO Vamos apreciar o primeiro grande mandamento do Senhor Jesus: Amar a Deus acima de todas as coisas, de coração, alma e pensamento, não se consolida com palavras, mas com obras, testemunhos, exemplos de bondade, e fidelidade. É indispensável guardar os seus mandamentos porque não são pesados e aprimorar a sua vontade.

Amar a Deus acima de todas as coisas é subjugar os desejos da carne, os quais são tendenciosos ao pecado, ter o coração simples e humildade como o coração de uma criança, renunciar as coisas deste mundo e dar graças por tudo. A revelação desse amor é manifestada pela fé, adoração, submissão e principalmente obediência.

Na tentação do deserto (Mateus 4.10), satanás propôs ao senhor Jesus a adoração pelo reino deste mundo, Jesus o repreendeu e enfatizou que, o fim da lei é a obediência e somente ao Senhor Deus odorarás e só a Ele servirás, porque é o Único digno de louvor, honra e glória.

O reverencia aos mandamentos do Senhor Jesus em amar a Deus acima de todas as coisas, condena todas as formas de idolatria, crença e adoração a outros deuses. Amar a Deus é crer e esperar somente Nele; e não esperar em deuses feitos por mãos de homens, porque o Senhor Deus, ofereceu em sacrifício o seu próprio Filho como Único Mediador de uma Nova Aliança, e reconciliar a criatura com o Supremo Criador (I Timóteo 2.5).

Isaías 42.8, o próprio Deus exortou dizendo: Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória, pois, a outrem não darei, nem o meu louvor, às imagens de escultura. Portanto, somente ao Deus Altíssimo, Pai do nosso Senhor e Salvador, o Messias, adorarás, e só a Ele servirá, porque Ele não dividi a sua glória com deuses.

Postagens relacionadas

Os Apóstolos e o crescimento da Igreja

Lua

O 2º Grande Mandamento

Lua

O que é a Bíblia?

Lua

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Politica de privacidade & Cookies