Santos & Devoções

São Oscar Romero

No dia 24 de março de 1980, em El Salvador, um tiro disparado por um sicário a mando das oligarquias que mandavam e desmandavam no pequeno país da América Central, matou dom Oscar Romero, voz profética da Igreja na América Latina. Fascinado por Jesus de Nazaré, São Oscar Romero deixou as seguranças e os privilégios do mundo para anunciar o Evangelho aos pobres e defender de maneira intransigente seus direitos.

Seu martírio foi o ponto culminante de uma existência lapidada pelo Espírito. Foi a natural consequência de uma intensa experiência de Deus. O tempo dedicado à oração, a comunhão eclesial (apesar das incompreensões sofridas) a fidelidade ao Evangelho e a sintonia com a Doutrina Social da Igreja o tornaram capaz de enxergar a realidade sofrida de seu povo com o mesmo olhar de compaixão de Deus, de experimentar a mesma indignação do Pai ao ver sai filhas e filhos espoliados/as de sua dignidade, de denunciar com coragem as opções políticas e econômicas contrárias ao projeto do Reino e assumir o compromisso evangélico de ajudar seu povo a se libertar da situação de opressão sofrida sem recorrer à violência. Seu único desejo foi o serviço ao Reino de Justiça e Paz.

“Rezo ao Espírito Santo, para que me faça caminhar nas estradas da verdade e me mantenha sempre guiado unicamente por Nosso Senhor; jamais pelos elogios, nem pelo temor de ofender” O assassino e seus mandantes acabaram com a vida de dom Oscar Romero, mas não conseguiram calar sua voz profética. De seu sangue derramado brotaram milhares de homens e mulheres que, edificados/as por seu testemunho, continuam seu empenho na defesa e promoção da vida.

É do poço de sua profecia, do carisma de São Daniel Comboni e do testemunho destemido de tantas pessoas conhecidas e desconhecidas que colocam suas vidas a serviço da Vida, que encontram alimento as companheiras e companheiros que militam no Centro de Direitos Humanos dom Oscar Romero/CEDHOR que há cerca de 20 anos marca presença em Santa Rita e no estado da Paraíba.

Seguindo os passos de Jesus de Nazaré e de todos/as os/as mártires da caminhada, trabalham em rede como as pessoas, pastorais, instituições, entidades, associações e movimentos populares empenhados a descerem das cruzes da repressão, da iniquidade, da discriminação e da violência as vítimas inocentes do sistema político e econômico perverso que, em nome do lucro a qualquer custa, pisoteia os direitos humanos fundamentais.

Com São Oscar Romero promovem e defendem a vida, sobretudo dos povos e comunidades tradicionais, das minorias, das mulheres, dos/as trabalhadores/as explorados/as, dos sem-terra e sem teto, das pessoas com deficiência, dos jovens, das crianças e adolescentes e do meio ambiente: “Diante da ordem de matar que vem de um ser humano, deve prevalecer a lei de Deus que diz: ‘não matarás!’ Nenhum soldado está obrigado a obedecer a uma ordem contra a Lei de Deus. Ninguém tem que cumprir uma lei imoral. Já é tempo de recuperar e obedecer a sua consciência ao invés da ordem do pecado””.

A memória do martírio de São Oscar Romero nos ajude a não esquecermos daqueles/as que deram a vida a serviço do Reino e dos pobres seus destinatários privilegiados. A memória dos mártires da caminhada motive cada militante dos direitos humanos a continuar seu serviço na defesa e promoção da vida.

Que nenhuma coisa no mundo nos faça perder a indignação diante das violações aos direitos humanos. Que a firmeza de nossos posicionamentos não se curve a interesses particulares. Que a coragem de nossas atitudes não se acovarde diante do medo e das ameaças. Que a generosidade de nossa dedicação nunca ceda o passo a posturas frias e burocráticas. Que a profecia de nossas palavras não se deixe calar com a oferta de cargos e salários. Que a nossa ambição nunca nos leve a trair a causa e os/as companheiros/as.

Que o apelo do fraco e do oprimido tenha mais importância do que os argumentos dos poderosos. Que as histórias das vítimas sejam preteridas às versões oficiais e às maquiagens dos marqueteiros. Que os riscos da marginalização e do isolamento nunca nos façam desistir. Que as calúnias proferidas pelos perseguidores soem aos nossos ouvidos como elogios. Que as incompreensões por parte daqueles que compactuam com as coisas erradas nos confirmem em nossa caminhada. Que em qualquer circunstância e apesar de tudo sejamos sempre defensores/as dos direitos humanos.
Parabéns a todas as pessoas que, apesar da repressão e perseguição, não desistem da luta. São Oscar Romero, presente! Mártires da caminhada, presentes!

“A igreja trairia seu próprio amor por Deus e sua fidelidade ao
Evangelho se parasse de ser defensora dos direitos dos pobres”

(Pe. Xavier Paolillo, missionário comboniano – CEDHOR)

Postagens relacionadas

Santo Ângelo

São Domingos Sávio

Lua

São Bento

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Politica de privacidade & Cookies