IgrejaSantos & Devoções

Santo Eleutério

Santo Eleutério, nascido por volta de 470, Eleutério viveu em Tournai, então norte da França e hoje Bélgica. Este foi um período difícil na região, com povos em conflito pela disputa de terras e apenas início da estruturação eclesiástica local. E, sem a ação da Igreja, a obediência popular era obtida normalmente por mera força militar, representa pelos reis e generais.
Um dos primeiros registros da história eclesiástica na França foi de São Gregório de Tours, que menciona ter Eleutério, ainda menino, ouvido a predição de que seria bispo. De fato, seguiu ele a carreira eclesiástica e foi em tempo eleito o primeiro bispo de Tournai, dez anos antes da conversão de Clodoveu, rei dos francos, ao Catolicismo. Portanto coube a ele organizar, em meio às populações beligerantes e sem maiores auxílios civis e administrativos, o funcionamento inicial da diocese (hoje uma das maiores do mundo, com 550 paróquias).

Além das dificuldades normais para estabelecer o clero, construir igrejas, formar núcleos de evangelização, havia o imenso esforço de pacificação dos habitantes. Além disso, um outro enorme problema era comum na época, as conversões “obrigatórias” das nações por causa da conversão dos reis. A ideia era a de que a unidade da nação deveria seguir a postura do rei, também na área religiosa.

Na prática, significava muitas pseudo-conversões, puramente exteriores e com fins políticos, e não adesões sinceras à Fé. Eleutério muito trabalhou para que houvesse veracidade nestas atitudes, contando com a ajuda de poucos padres e monges. Cuidou com enorme zelo e perseverança para evitar a infiltração de heresias, agindo com bondade e energia.

 Em 532, não se sabe ao certo como, foi ele martirizado por hereges.

Colaboração: José Duarte de Barros Filho

Reflexão:

A lógica do Evangelho, a História, e a observação do senso comum testemunham que a ação da Igreja promove a pacificação e união das pessoas e dos povos. Como esta ação é obra do Espírito Santo, mesmo uns poucos homens podem com sucesso iniciar e desenvolver uma grande obra evangelizadora, e este é o caso de São Eleutério, a exemplo dos 12 Apóstolos com os quais se iniciou formalmente a atividade da Igreja, em Pentecostes.

A condição é a abertura da alma ao chamado de Cristo, em obediência e verdadeiro amor a Deus e ao próximo. Não há ser humano que não possa servir ao Pai Celeste: os frutos sempre serão abundantes, a curto ou a longo prazo, em maior ou menor quantidade segundo as disposições divinas, mas inevitáveis quando nós, os ramos, estamos conectados à árvore da Vida: “Eu sou a videira, vós os ramos.

Quem permanece em Mim, e Eu nele, produz muito fruto, porque, sem Mim, nada podeis fazer” (Jo 15,5). E o fruto da videira, a uva, produz o vinho, o qual, consagrado, é o Sangue de Cristo, que sacia a sede da alma. Assim, também, podemos ter participação, com Jesus, nas boas obras que levam ao Céu.

Oração:

Senhor Deus, que sempre nos assistis em tudo o que nos pedes, concedei-nos por intermédio de São Eleutério a sinceridade de conversão, para que então vivendo em santidade possamos contribuir para a verdadeira paz na alma, na família, no país e no mundo. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso filho, e Nossa Senhora. Amém.

Postagens relacionadas

A importância das duas espécies Eucarísticas

Lua

Maduros na fé

Lua

São Maximino Bispo, Confessor

Lua

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Politica de privacidade & Cookies