Colaboradores

Ascenção do Senhor

O SENHOR JESUS FOI LEVADO AO CÉU, E SENTOU-SE À DIREITA DE DEUS

Conclusão do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo: Jesus se manifestou aos onze discípulos, e disselhes: ”Ide pelo mundo inteiro e anunciai o evangelho a toda criatura!

Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado.  Os sinais que acompanharão aqueles que crerem serão estes: expulsarão demônios em meu nome, falarão novas línguas; se pegarem em serpentes oubeberem algum veneno mortal não lhes fará mal algum; quando impuserem as mãos sobreos doentes, eles ficarão curados”.

Depois de falar com os discípulos, o Senhor Jesusfoi levado ao céu, e sentou-se à direita de Deus. Os discípulos então saíram e pregarampor toda parte. O Senhor os ajudava e confirmava sua palavra por meio dos sinais quea 2 acompanhavam.

O evangelho mais antigo é o de Marcos, tão antigo que termina no capítulo 16 no versículo 8 com a proclamação da ressurreição de Jesus, mas sem encontros, sem a aparição com o Ressuscitado.

Isso criou alguns problemas, algum constrangimento na comunidade cristã primitiva, então nas décadas posteriores três finais foram escritos para este evangelho.

Finais não à altura do estilo, cultura, teologia e espiritualidade do Evangelista e desses três o pior é o que aparece atualmente no evangelho e que a liturgia escolheu hoje para a festa da

Ascensão. Portanto, não é a caneta do evangelista, mas faz parte da experiência cristã primitiva, é o que eles entenderam da mensagem de Jesus. Então encontramos no versículo 15 as palavras de Jesus “ Ide pelo mundo inteiro e anunciai o evangelho a toda criatura!”

Eles entenderam que a Boas Notícia não é reservada para o povo de Israel, mas é para todas as criaturas, para toda a humanidade porque todos precisam dessa palavra como resposta de Deus à necessidade de plenitude da vida que cada pessoa carrega dentro de si.

3 Há o convite ao batismo, que significa conversão, e depois é a experiência da comunidade desses evangelizadores que recebem mal, recebem da morte, mas respondem com uma oferta contínua de vida e acima de tudo a atenção aos doentes para fazê-los se sentirem bem.

E continue esta adição escrita pela comunidade primitiva que “Depois de falar com os discípulos, o Senhor Jesus foi levado ao céu.” Para entender este texto devemos nos referir à cultura do tempo, à cosmologia, à concepção do mundo:

Deus estava no alto e assim tudo o que vinha de Deus se dizia que descia, e o Espírito desce de cima, e tudo o que ia para Deus, subia. Então essa expressão de que Jesus foi elevado ao céu não significa uma separação de Jesus dos seus, mas significa que Jesus manifestou a plenitude da condição divina.

E continua o autor “E sentou-se à direita de Deus.” Jesus o havia dito que colocariam o filho do homem sentado à direita do Poderoso e é um lembrete ao Salmo 110, onde o rei se senta à direita de Deus. Sentar a direita significa ter igualdade, ter a mesma capacidade.

Então o que os autores desta adição escrevem é: aquele homem que vocês, autoridades religiosas, condenaram 4 como herege, como blasfemador, era na verdade Deus, tinha a condição divina.

Essa expressão do Evangelista é importante, precisamente incluída na cultura cosmológica da época: com a ascensão Jesus não se separa, não se distancia dos seus, mas na plenitude da condição divina colabora em sua atividade.

E, de fato, imediatamente depois diz: “Os discípulos então saíram e pregaram por toda parte. O Senhor os ajudava”; por isso não é uma distância, mas uma proximidade, não uma ausência, mas uma presença porque a morte, e isso também deve ser estendido aos nossos entes queridos, não os distancia de nós, mas os torna ainda mais próximos.

E Jesus até “confirmava sua palavra”, qual é essa palavra? É a Boa Notícia do evangelho, “por meio dos sinais que a acompanhavam”. Assim Jesus não deixa órfãos os seus, mas os acompanha e fortalece sua ação; o que significa potencializar sua ação?

Aqueles que com Jesus e como Jesus vão comunicar a vida, verão o efeito desta proclamação fortalecido pela plenitude de sua bênção. Assim, a ascensão de Jesus não é uma separação de Jesus do resto da comunidade, mas uma presença ainda mais intensa; como Mateus escreverá na final de 5 seu evangelho, as palavras de Jesus são uma confirmação: “Eis que estou com você todos os dias”.

 

Comentário de
Pe. Alberto Maggi OSM
ao Evangelho Mc 16,15-20

Postagens relacionadas

Catequistas devem ser “provocadores”

Eraldo

A restauração da humanidade em Cristo

Lua

Ser padre: Cruz e Alegria

Lua

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Politica de privacidade & Cookies