IgrejaSantos & Devoções

Santa Eufrásia

Eufrásia nasceu em Constantinopla, hoje Istambul na Turquia, por volta de 380. Era filha única de pais ricos e convertidos ao Cristianismo, parentes do então imperador romano Teodósio. Assim ela passou a infância e juventude rodeada pelo luxo e prazeres da corte, que porém não a atraíam. De fato, sua mãe dedicava muito tempo ensinando-lhe o amor por Jesus e o horror do pecado, e seus pais, ainda que com posses, viviam de forma humilde.

Falecido o pai, o ambiente na corte passou a ser de interesseiros em relação a elas. A mãe, buscando um lugar tranquilo onde pudessem se dedicar totalmente a Deus, levou-a para o Egito, onde recomeçaram a vida. Lá, ambas dedicavam-se à caridade junto aos pobres, à visita a hospitais e a conventos. Com dez anos, Eufrásia desejou permanecer num convento de religiosas que a acolhia. A mãe consentiu, e as irmãs em breve se impressionaram com a sua maturidade precoce, acompanhado-as na rotina com disciplina e pontualidade. Ali ela cresceu, com uma vida regular, na prática do jejum e das orações.

Mas após o falecimento da mãe, o imperador a procurou, oferecendo-lhe um vantajoso casamento com um senador, através do qual a sua fortuna aumentaria ainda mais. Eufrásia recusou, reafirmando o desejo de manter-se virgem e seguir a vida religiosa. Em contrapartida, pediu a Teodósio que distribuísse aos pobres tudo o que herdara. Seguiu assim no convento, servindo com humildade as irmãs. Foram escritos relatos de que inúmeras graças e milagres aconteciam por sua intercessão, por exemplo a cura de menino moribundo quando ela fez sobre ele o sinal da Cruz.

Praticava um rigoroso jejum, passando sem comer dias inteiros, e evitando carnes, ovos, óleo e leite. Jamais provava vinho ou algo que lhe agradasse o paladar. Mas seus maiores desafios vieram de problemas no convento, como os desmandos de uma abadessa doentia e as acusações infundadas de uma irmã.

Em 12 de março de 412 a superiora teve uma visão, avisando-a de que Eufrásia iria morrer e ser proclamada santa. Eufrásia acreditou, embora fosse jovem e nada sentisse de mal. Por isso pediu para receber os últimos Sacramentos. No dia seguinte, efetivamente, ela começou a ter uma febre muito alta, e faleceu, sendo sepultada no próprio convento.

Reflexão:
A vida aparentemente isenta de grandes acontecimentos de Santa Eufrásia é típica daquela santidade que em geral passa desapercebida do mundo, ávido de turbulências e agitações notáveis – mesmo para os cristãos. Um resumo superficial poderia indicar que era rica e passou a infância sem problemas, descobriu bem cedo sua vocação religiosa que não teve oposição, e passou a vida quase toda no recolhimento de um convento.

Mas ao contrário, desde a infância teve que se esforçar, claro que com a ajuda dos pais, para fugir às seduções cortesãs do ambiente em que habitava, à facilidade de uma vida fútil pela riqueza, ao assédio de interesseiros na sua virgindade e fortuna; ao desconforto de mudar para uma terra e cultura distantes, onde conheceu as mazelas humanas e não o ócio, a decisão precoce de se separar da mãe e de se submeter a uma rígida disciplina; à pressão de um imperador e à tentação de manter uma enorme herança, às dificuldades de uma vida em comunidade reclusa, onde é necessária a obediência mesmo quando não é equilibrada a direção, e onde as pequenas asperezas da limitada convivência cotidiana se agigantam

Sem que necessariamente estejam ausentes a falsidade, a má-fé, a inveja, o orgulho… sem contar com as dores naturais da perda dos pais por cima das penitências que, se bem que escolhidas livremente, não deixaram de exigir constância e empenho em enfrentar responsavelmente estes grandes desconfortos. E, naturalmente e mais importante, tudo isto feito por amor a Deus e ao próximo, não por algum tipo de fuga ou egoísmo, mas com a busca e esforço desde tenra idade no exercício interior de direcionar a alma para Deus.

Esta não é uma batalha menos heroica do que outras santas vidas repletas de fatos e acontecimentos chamativos; e é a batalha pela santidade da imensa maioria dos católicos, que de forma discreta, sem buscar alarde nos seus atos, devem ser heroicos no dia a dia comum.

Oração:
Senhor Deus, imutável e constante no Vosso amor, dai-nos a graça de buscar, por intercessão de Santa Eufrásia, somente Vos servir, sem desejar aparecer para o mundo ou alimentar o próprio orgulho, mas, atentos à vida normal dos irmãos, percebermos as suas necessidades e servi-los a partir da sincera comunhão Convosco. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, e Nossa Senhora. Amém.

source

Postagens relacionadas

História de São Gabriel Arcanjo

Lua

São Luís Gonzaga

Eraldo

Como surgiram as Indulgências?

Lua

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Politica de privacidade & Cookies