Ascenção do Senhor

O SENHOR JESUS FOI LEVADO AO CÉU, E SENTOU-SE À DIREITA DE DEUS

Conclusão do evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos – Naquele tempo: Jesusse manifestou aos onze discípulos, e disselhes: ”Ide pelo mundo inteiro e anunciai o evangelho a toda criatura!

Quem crer e for batizado será salvo. Quem não crer será condenado.  Os sinais que acompanharão aqueles que crerem serão estes: expulsarão demônios em meu nome, falarão novas línguas; se pegarem em serpentes oubeberem algum veneno mortal não lhes fará mal algum; quando impuserem as mãos sobreos doentes, eles ficarão curados”. Depois de falar com os discípulos, o Senhor Jesusfoi levado ao céu, e sentou-se à direita de Deus. Os discípulos então saíram e pregarampor toda parte. O Senhor os ajudava e confirmava sua palavra por meio dos sinais quea 2 acompanhavam.

O evangelho mais antigo é o de Marcos, tão antigo que termina no capítulo 16 no versículo 8 com a proclamação da ressurreição de Jesus, mas sem encontros, sem a aparição com o Ressuscitado. Isso criou alguns problemas, algum constrangimento na comunidade cristã primitiva, então nas décadas posteriores três finais foram escritos para este evangelho.

Finais não à altura do estilo, cultura, teologia e espiritualidade do Evangelista e desses três o pior é o que aparece atualmente no evangelho e que a liturgia escolheu hoje para a festa da Ascensão. Portanto, não é a caneta do evangelista, mas faz parte da experiência cristã primitiva, é o que eles entenderam da mensagem de Jesus. Então encontramos no versículo 15 as palavras de Jesus “ Ide pelo mundo inteiro e anunciai o evangelho a toda criatura!”

Eles entenderam que a Boas Notícia não é reservada para o povo de Israel, mas é para todas as criaturas, para toda a humanidade porque todos precisam dessa palavra como resposta de Deus à necessidade de plenitude da vida que cada pessoa carrega dentro de si. 3 Há o convite ao batismo, que significa conversão, e depois é a experiência da comunidade desses evangelizadores que recebem mal, recebem da morte, mas respondem com uma oferta contínua de vida e acima de tudo a atenção aos doentes para fazê-los se sentirem bem.

E continue esta adição escrita pela comunidade primitiva que “Depois de falar com os discípulos, o Senhor Jesus foi levado ao céu.” Para entender este texto devemos nos referir à cultura do tempo, à cosmologia, à concepção do mundo: Deus estava no alto e assim tudo o que vinha de Deus se dizia que descia, e o Espírito desce de cima, e tudo o que ia para Deus, subia. Então essa expressão de que Jesus foi elevado ao céu não significa uma separação de Jesus dos seus, mas significa que Jesus manifestou a plenitude da condição divina.

E continua o autor “E sentou-se à direita de Deus.” Jesus o havia dito que colocariam o filho do homem sentado à direita do Poderoso e é um lembrete ao Salmo 110, onde o rei se senta à direita de Deus. Sentar a direita significa ter igualdade, ter a mesma capacidade. Então o que os autores desta adição escrevem é: aquele homem que vocês, autoridades religiosas, condenaram 4 como herege, como blasfemador, era na verdade Deus, tinha a condição divina.

Essa expressão do Evangelista é importante, precisamente incluída na cultura cosmológica da época: com a ascensão Jesus não se separa, não se distancia dos seus, mas na plenitude da condição divina colabora em sua atividade. E, de fato, imediatamente depois diz: “Os discípulos então saíram e pregaram por toda parte. O Senhor os ajudava”; por isso não é uma distância, mas uma proximidade, não uma ausência, mas uma presença porque a morte, e isso também deve ser estendido aos nossos entes queridos, não os distancia de nós, mas os torna ainda mais próximos.

E Jesus até “confirmava sua palavra”, qual é essa palavra? É a Boa Notícia do evangelho, “por meio dos sinais que a acompanhavam”. Assim Jesus não deixa órfãos os seus, mas os acompanha e fortalece sua ação; o que significa potencializar sua ação? Aqueles que com Jesus e como Jesus vão comunicar a vida, verão o efeito desta proclamação fortalecido pela plenitude de sua bênção. Assim, a ascensão de Jesus não é uma separação de Jesus do resto da comunidade, mas uma presença ainda mais intensa; como Mateus escreverá na final de 5 seu evangelho, as palavras de Jesus são uma confirmação: “Eis que estou com você todos os dias”.

 

Comentário de
Pe. Alberto Maggi OSM
ao Evangelho Mc 16,15-20


Imprimir   Email

Comentários (0)

Não há comentários postados aqui ainda

Deixe seus comentários

  1. Postando comentário como convidado. Inscreva-se ou faça login em sua conta.
0 Personagens
Anexos (0 / 3)
Compartilhe sua localização