ColaboradoresDocumentosPe. Ernesto

Entrevista às pessoas que estiveram com Jesus

Os Atos dos Apóstolos relatam a primeira pregação cristã, realizada pelos Apóstolos, por mandato de Cristo. Proclamavam, em primeiro lugar, a pessoa de Jesus de Nazaré, sua morte e ressurreição. Na praça de Jerusalém, Pedro proclama: “Deus constituiu Senhor e Cristo a este Jesus que vós crucificastes” (At 2,36). A pessoa dele dava valor às suas palavras e aos sinais que ele operava (Jo 2,18; 6,30).

Os apóstolos realçavam três acontecimentos da vida de Jesus: “Morte, ressurreição e glorificação”. A base fundamental do cristianismo é a pessoa de Jesus, não um livro: “Corramos com perseverança na competição, que nos é proposta com os olhos fixos em Jesus, que vai à frente da nossa fé e a leva à perfeição” (Hb 12,1-2).

Deus, depois de nos ter dado toda espécie de dons na ordem da natureza quis dar-nos o dom maior, o dom de si mesmo: “De tal modo Deus amou o mundo, que lhe fez o dom de seu Filho Jesus Cristo” (Jo 3,15). A Pilatos, que lhe perguntava se ele era rei, Jesus disse: “Sim, eu sou rei. Eu nasci e vim ao mundo para isto: para dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade escuta a minha voz” (Jo 18,37).

Às vezes, na nossa catequese trocamos o principal pelo secundário, o essencial pelos detalhes. Um repórter brasileiro foi despedido pelo seu Jornal, pois, no acidente em que Ayrton Senna perdeu a vida, no lugar de falar do campeão de Fórmula 1, acidentado no meio das ferragens, relatou apenas a marca do pneus, o número dos sapatos, a cor do carro, o pára-choque amassado, a reação dos colegas e torcedores, presentes ao acontecido.

Um dia, um pároco perguntou a um catequista da 1º Eucaristia: “Você ensinou aos seus catequisando a presença real-corporal de Jesus na Eucaristia?”. O jovem catequista respondeu: “Esqueci este detalhe!”. Assim, aquilo que é substancial e fundamental na catequese, foi trocado por um simples “detalhe”.

Em Jesus encontramos a respostas às perguntas mais profundas do homem; nele o peregrino, faminto e sedento, encontra a “água, que jorra para a vida eterna”, como um dia a encontrou a mulher da Samaria (Jo 4,14): “como a corsa deseja as águas correntes, assim, minha alma anseia por ti, ó Deus!” (Sl 42,2-3). E, este Deus é Jesus. Ele é “o homem” novo (Jo 19,5), que Deus constituiu princípio de uma nova humanidade (1Cor 5,5.8; Mt 13,33; Gl 5,9).

Excelente artigo escrito por: Pe. Ernesto Ascione – Comboniano,

 

Entrevista sobre Jesus

Postagens relacionadas

Família chamada a viver na Eucaristia

Lua

Droga livre, Jovem escravo!

Lua

A alegria da missão

Eraldo

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceitar Leia mais

Politica de privacidade & Cookies