Nossa Senhora da Abadia

Nossa Senhora da Abadia

A devoção a Nossa Senhora da Abadia é originária de Portugal. A imagem de Nossa Senhora da Abadia é bastante antiga, procedente do Mosteiro de Bouro, situado perto de Braga, em Portugal.

Por isso é também chamada Santa Maria de Bouro.


O Mosteiro de Bouro já existia naquela região por volta do ano 883. Naquele tempo, Portugal e Espanha tinham sido invadidos pelos mouros, que professavam a religião muçulmana. Com receio dos mouros, os monges abandonaram o Mosteiro e, para evitar a profanação da imagem da Virgem Santíssima, esconderam-na.

Após muitos séculos, no tempo do Conde D. Henrique, o fidalgo Pelágio Amado abandonou sua vida mundana e tornou-se emérita. Ele foi viver com um velho ermitão na ermida de São Miguel, perto de Braga.

Certa noite, num vale próximo da ermida, os ermitãos viram que brilhava uma luz bastante forte. Na noite seguinte, constataram que o fato se repetiu. Quando amanheceu, foram até o local, onde encontram uma imagem mariana entre as pedras. Cheios de júbilo, eles se prostaram diante da imagem e, agradecidos, passaram a venerar nela a Virgem Maria.

Muitos devotos, os eremitas mudaram-se para aquele local e construíram ali uma simples ermida, onde colocaram a imagem.
Tendo sabido do fato, o arcebispo de Braga foi visitar a imagem naquela ermida. Sensibilizado com a pobreza dos ermitãos, o bispo ordenou que edificasse uma igreja para abrigar a imagem. A igreja foi construída de pedra lavrada.

Paulatinamente, outros religiosos foram morar com os dois ermitãos, constituindo uma abadia. Com o aumento de prodígios realizados sob a intercessão da Virgem Maria, a devoção se espalhou e ficou conhecida em todo o país. O rei D. Afonso Henriques fez sua peregrinação à igreja, onde deixou boa doação para o sustento do culto e dos monges.

Culto mariano do Brasil

O culto a Nossa Senhora da Abadia foi traduzido ao Brasil pelos portugueses, implantando-se, sobretudo, no Triângulo Mineiro, Goiás, Mato Grosso, Rio de Janeiro, São Paulo e outros estados.

Atualmente, o grande centro de romarias no Triângulo Mineiro é o Santuário de Nossa Senhora da Abadia, em Água Suja, na Arquidiocese de Uberaba. A festa de 15 de agosto atrai um grande número de devotos que vem venerar a Virgem de Bouro.

Durante a festa de Água Suja, a procissão é interessante, pois os peregrinos cumprem suas promessas de diversas maneiras. Um romeiro carrega, vergado, uma pesada pedra. Outro transporta um aleijado nos ombros. Sem camisa, vários levam velas ou vasilhas com água na cabeça. Outros ainda açoitam-se ou fingem açoitar-se e assim por diante. Com os seus gestos simples, os devotos agradecem os benefícios conseguidos pela intercessão da Mãe de Deus.

Na cidade mineira de Uberaba a devoção é bastante forte. Há a bela e piedosa Igreja Nossa Senhora da Abadia, que foi inaugurada em 1884. Sua imagem foi trazida do Rio de Janeiro. A festa de 15 de agosto atrai os uberabenses e devotos da região, que participam das cerimônias religiosas com muita piedade.

Mesmo os uberabenses que moram fora da cidade, participam também. Do Triângulo Mineiro a devoção propagou-se para Goiás e São Paulo. Em Muquém, Goiás, na festa de 15 de agosto, milhares de devotos comparecem para expressar seu culto a Virgem Maria. Em São Paulo há uma maternidade sob a proteção da Virgem Maria.

A imagem de Nossa Senhora da Abadia é muito bonita. Representa Maria de pé, segurando com as duas mãos o menino Jesus nu, deitado sobre elas. Está coberta por um longo manto que vai da cabeça até os pés, embaixo dos quais aparece uma nuvem com três cabeças de anjos. Usa uma coroa fechada e pontiaguda.


Imprimir   Email

Comentários (0)

Não há comentários postados aqui ainda

Deixe seus comentários

  1. Postando comentário como convidado. Inscreva-se ou faça login em sua conta.
0 Personagens
Anexos (0 / 3)
Compartilhe sua localização
Este Layout não corresponde ao layout selecionado no perfil correspondente.