Divino Pai Eterno

Divino Pai Eterno

Em 1840, Constantino Xavier Maria e Ana Rosa de Oliveira foram morar nas proximidades do corrego Barro Preto em Goiás. Viviam de trabalhos rurais e um certo dia, ao roçar a plantação onde

trabalhavam perceberam algo diferente. A enxada de Constantino bateu em algo sólido, rígido, bem similar a uma pedra. Assim que se deu conta, chamou Ana Rosa e descobriram que não aquilo não era uma pedra e sim um grande medalhão de barro.

Surpresos, notaram que havia uma imagem gravada nele e após retirarem toda a terra que o cobria viram que ali estava a Santíssima Trindade coroando Nossa Senhora. Imediatamente, beijaram a imagem e sentiram-se muito abençoados e agradecidos pelo privilégio, levaram o medalhão do Divino Pai Eterno para a casa e reservaram-a em um lugar muito especial.

A partir daquele dia, toda a família e amigos começaram a rezar o terço em frente a imagem aos sábados e domingos e os pedidos, graças e milagres começaram a ser atendidos cada vez com mais frequência até que a notícia se espalhou e mais pessoas da região vieram rezar para o Divino Pai Eterno também.

Por conta das peregrinações, fez-se necessária a construção de um espaço maior e foi onde todos se juntaram com muita fé e solidariedade para construir uma capelinha para o Divino Pai Eterno, que por conta da situação financeira de todos foi construida com folhas de buriti.

Já em 1843, essa capelinha ficou pequena, uma vez que a fama dos milagres se espalhava cada vez mais rápido e trazia mais e mais pessoas para rezarem em frente a imagem. Constantino e Rosa, acharam como solução, doar um terreno que possuíam principalmente em agradecimento por todas as bençãos que já haviam recebido do Divino Pai Eterno. Mais uma vez, a população se uniu para ajudar na construção de uma capela maior às margens do córrego Barro Preto.

Com o crescimento da devoção, Constantino quis restaurar a imagem mas como era muito humilde procurou um artista plástico da região e em troca da restauração ofereceu todo o seu dinheiro e seu único cavalo. Além disso, pediu que a nova imagem fosse idêntica a do medalhão encontrado por ele e que fosse em madeira. Essa imagem pode ser vista até os dias de hoje no Santuário Basílica e o medalhão também está guardado lá, em um local secreto.

Significado da imagem do Divino Pai Eterno
A imagem do Divino Pai Eterno é a representação do Pai, Filho e o Espírito Santo coroando Nossa Senhora.

- Maria: encontra-se no centro da imagem. É a esposa do Espírito Santo. Mãe de Deus porque é a mãe de Jesus. A Imaculada Conceição, a mãe de todos os viventes. É a humanidade presente junto ao mistério da Santíssima Trindade.

- Deus Pai: 1ª pessoa da Santíssima Trindade. Aquele para quem nada é impossível. O Pai Eterno é amoroso e criou o mundo para manifestar sua bondade, sua glória e beleza.

- Jesus Cristo: 2ª pessoa da Santíssima Trindade. O Filho predileto, o ungido e enviado para nos redimir de nossas faltas. O verbo que se encarna para nos salvar das trevas, que nos reconcilia com Deus, modelo de nossa santidade.

- Espírito Santo: 3ª pessoa da Trindade. É o Paráclito, o Espírito de Verdade, procede do Pai e do Filho, e com Eles é adorado e glorificado.


Imprimir   Email

Comentários (0)

Não há comentários postados aqui ainda

Deixe seus comentários

  1. Postando comentário como convidado. Inscreva-se ou faça login em sua conta.
0 Personagens
Anexos (0 / 3)
Compartilhe sua localização