Nascimento virginal de Jesus

Nascimento virginal de Jesus

Dogmas Mariano
Tipografia
  • Menor Pequena Médio Grande Extra grande
  • Padrão Helvetica Segoe Georgia Times

nascimento virginal de Jesus é um dogma do cristianismo e do islamismo que sustenta que Maria concebeu Jesus milagrosamente, se mantendo virgem, ou seja, sem relação sexual[1] . Seria mais correto falar em "conceição virginal". Esta doutrina foi universalmente adotada na Igreja cristã já no século II [2] e aceite pela Igreja Anglicana,Igreja do Leste, a Igreja OrtodoxaIgrejas Protestantes e a Igreja Católica Romana.

O dogma é incluído nos dois credos mais amplamente usados. Um afirma que Jesus "foi a encarnação do Espírito Santo e da Virgem Maria" (o Credo de Niceia, que é sua forma familiar[3] ) e outro que Ele "nasceu da VirgemMaria" (Credo dos Apóstolos),[4] . Estes dois credos não tinham sido seriamente postos em causa, exceto por alguns setores minoritários, até à teologia do Iluminismo, no século XVIII.[2]

Evangelho de Mateus (Mateus 1[5] e o Evangelho de Lucas (Lucas 3)[6] dizem que Maria era virgem e que Jesus foi concebido pelo Espírito Santo. Esses evangelhos, a tradição recente e a doutrina atual apresentam a concepção de Jesus como um milagre sem envolvimento de pai natural[7] [8] [9] , sem intercurso sexual e sem fertilização genética, mas em vez disso trazida à cena pelo Espírito Santo.[10] [11] [12] [13]

Na Igreja Católica e na Igreja Ortodoxa, o termo "nascimento virginal" não significa apenas que Maria era virgem quando concebeu e deu à luz, mas também que ela teria permanecido virgem por toda a vida, uma crença atestada desde o século II d.C.[14] . (Veja Virgindade perpétua de Maria).

A doutrina geral cristã do nascimento virginal de Jesus não deve ser confundido com a doutrina católica romana da Imaculada Conceição, que trata da conceição imaculada da própria Maria por Santa Ana. A concepção de Maria teria ocorrido da forma tradicional, sem milagre, e o que a doutrina católica prega é que ela veio ao mundo sem a "mancha" (em latimmacula) do pecado original[15] .

A virgindade de Maria na concepção de Jesus é também um dogma no islamismo[16] . Os muçulmanos se referem a Jesus como "Jesus filho de Maria" (Isa bin Maryam), um termo repetidamente utilizado no Corão.[17]